Falaremos sobre algo que ninguém se preocupa e poderá nos matar em alguns anos, algo que usamos diariamente: O Telefone Celular.


Você encontrará aqui provas e evidências de que realmente o a RADIAÇÃO emitida pelo TELEFONE CELULAR pode e irá causar CÂNCER em bilhares de pessoas pelo Mundo.

As operadoras de Celular e os fabricantes, não estão nem aí com a Saúde dos usuários, eles querem vender e ganhar dinheiro.

 

Os fabricantes se defendem dizendo que “ainda não existem estudos conclusivos sobre os efeitos da radiação emitida pelos aparelhos”. Enquanto isso, vendem feito água.

 

O celular é hoje, provavelmente, o novo cigarro.

A prova disso é tão grande que, as operadoras TIM e CLARO já têm uma promoção em que o usuário só paga apenas o primeiro minuto da ligação e o restante é grátis (Na CLARO é cobrado a cada 30 minutos).


Eles querem realmente que os usuários utilizem cada vez mais o CELULAR.


(Foto da Internet)
(Foto da Internet)

Hoje, as crianças de 4,5,6 anos já utilizam CELULAR, e serão justamente essas crianças que serão ainda mais afetas com a radiação, pois começarão a utilizar muito cedo essa “ARMA”.

Para você ter uma idéia, a radiação do celular é tão perigosa que os médicos (os cientes desse perigo) pedem para as gestantes reduzirem o uso do celular e não pendurar ele no pescoço, pois assim o celular ficará perto da barriga e o bebê sofrerá danos irreversíveis.


Ainda pior que usar aparelhos celular, é utilizar um aparelho celular que não tem nenhuma procedência, nenhum controle de qualidade e muito menos o certificado da ANATEL.

 

Os aparelhos celulares “importados” estão por toda parte, como uma epidemia, eles podem realmente emitir radiações mais altas do que os aparelhos com certificados da ANATEL.

O nosso conselho é: Não utilize esse tipo de aparelho, além de serem muito frágeis, a bateria descarrega rápidamente,  não sabemos a sua procedência, e muito menos o nível da sua radiação.

 

OBS.: Embora, com todos esses riscos de radiação, sabemos que  o certificado da ANATEL não nos garante segurança.

Muitas pessoas que moram perto das torres de telefonia, vivem reclamando de dores de cabeça. Realmente, a radiação emitida por essas torres são altíssimas e estão em atividade 24h por dia.

O TELEFONE CELULAR é de grande importância hoje e facilita bastante o dia-a-dia, de qualquer forma devemos ter cuidado, tentar utilizar o mínimo possível e se sempre utilizar o FONE DE OUVIDO (Fio).

Também é bom utilizar o sempre que puder a função VIVA-VOZ, para afastar a cabeça do aparelho celular.

De qualquer forma, não podemos esquecer que os “senhores do mundo” pretendem reduzir a população, e o celular é apenas mais uma de suas armas!

TEXTO: www.supremaverdade.jimdo.com

Segundo a OMS, a radiação emitida por celulares e smartphones pode provocar câncer e a agência internacional passa agora a listar os aparelhos na mesma categoria de “risco carcinogênico” que o chumbo, a exaustão de monóxidos de carbono em motores, o clorofórmio e outros.

A Agência Ambiental Européia já havia emitido um relatório que qualificava o uso de aparelhos celulares como um risco à saúde humana tal qual o tabagismo, o amianto e os combustíveis aditivados com chumbo.

 

O chefe de um dos departamentos do instituto de pesquisa contra o câncer da Universidade de Pittsburgh enviou um memorando a todos os funcionários pedindo que o uso dos celulares fosse reduzido devido ao possível risco de câncer.

“O crânio e o couro cabeludo das crianças é bem mais fino (que o de adultos). Portanto, a radiação pode penetrar mais profundamente no cérebro de crianças e jovens. As suas células nervosas dividem-se a uma velocidade maior, tornando o impacto da radiação ainda mais extenso”,

 

diz o Dr. Black do Cedars-Sinai Medical Center.

Especialista britânico alerta contra uso de celular por crianças:

 

Os pais devem se certificar de que os seus filhos usem telefones celulares apenas quando necessário por causa dos potenciais riscos à saúde, adverte um especialista britânico.

 

O mais recente estudo do cientista William Stewart lembra às pessoas que, embora ainda não existam provas de que os celulares são prejudiciais à saúde, devem ser tomadas precauções.

 

Há cinco anos, Stewart já havia dito que as crianças só deveriam usar estes aparelhos em casos de emergência.

Mas o especialista, que integra um órgão de proteção radiológica da Grã-Bretanha, teme que esta orientação tenha sido ignorada.

 

Uma em cada sete crianças entre sete e dez anos de idade possuem hoje um telefone celular - o dobro dos níveis de 2001.

O relatório de William adverte que se os telefones celulares forem prejudiciais à saúde, as crianças estarão inevitavelmente sob risco.

 

Também há um pedido para revisar o processo de concessão de planejamento para mastros.

 

William disse à BBC que não há evidências absolutas de que telefones celulares fazem mal, mas vários estudos levantaram graves preocupações.

 

Seria errado permitir que crianças com menos de oito anos de idade utilizam telefones celulares regularmente, disse ele.

 

"Eu certamente não gostaria que meus netos utilizassem telefones celulares mais do que o necessário", disse Lawrie Challis, que participou do relatório feito por Stewart e hoje dirige o programa de pesquisa de telecomunicação móvel e saúde.

 

"Prejudicial"

 

No ano passado um estudo realizado pelo Instituto Karolinska, da Suécia, com 750 pessoas, sugeriu que o uso de celulares durante dez anos quadruplica o risco de tumores no ouvido.

Um estudo holandês sugeriu que celulares podem afetar o funcionamento do cérebro e outras pesquisas na europa indicaram que a radiação desse tipo de telefone pode causar danos ao DNA.

 

Adam Burgess, da Universidade de Kent, na Grã-Bretanha, publicou pesquisa há um ano rejeitando alegações de que telefones celulares são prejudiciais.

Burgess disse que não sabe porque estes mais recentes alertas estão estão sendo feitos, eles são exatamenta os mesmos feitos há cinco anos.

 

"Pode haver algum risco desconhecido que pode surgir em algum momento no futuro, mas nós temos que pesar isto em relação aos benefícios de usar os aparelhos."

 

 

Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/story/2005/01/050111_telefoneg.shtml

Estudo: 10 minutos no celular podem causar câncer

 

Um novo estudo voltou a relacionar o uso do celular ao câncer, afirmando que bastam 10 minutos ao aparelho móvel para ocasionar o surgimento de tumores. De acordo com a pesquisa do Instituto de Ciência Weizmann, em Israel, apenas alguns minutos de exposição à radiação causada pelos celulares podem desencadear problemas na divisão celular humana que levam ao surgimento de tumores cancerosos, informou o site New Scientist.

 

Uma equipe coordenada pelo professor Rony Seger expôs células humanas e de ratos a radiação eletromagnética a uma freqüência 875 MHz e com uma potência um pouco menor do que o nível emitido pela maioria dos handsets disponíveis no mercado.

 

Segundo os pesquisadores, em 10 minutos o sinal químico indicativo do processo de desenvolvimento de tumor foi ativado.

 

"A real importância de nossa descoberta é que as células não são inertes à radiação dos telefones celulares mesmo que não haja elevação térmica", ressaltou Serger, em entrevista ao jornal inglês Daily Telegraph.

 

 "Utilizamos níveis de radiação equivalentes à décima parte do que um celular normal gera, e as alterações não ocorreram devido ao aquecimento dos tecidos", explicou.

 

Embora vários estudos tenham encontrado de fato relação entre o celular e tumores no cérebro, a mesma conexão ainda tem que ser feita para os tumores que de fato se tornaram cânceres. Além disso, não há evidência concreta que sugira que os sinais móveis atuais possam causar riscos de saúde a longo prazo.

 

Fonte: http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI1889148-EI4796,00.html

 

Celular e câncer (Wikipédia)

 

A relação entre celulares e câncer há anos vem ganhando a atenção de diversos pesquisadores ao redor do mundo, mas no entanto as pesquisas apresentam resultados bastante díspares, distanciando a comunidade científica de um consenso. Enquanto algumas pesquisas mostram que a radiação emitida por aparelhos celulares pode ser maligna para o ser humano,[2] outras no entanto afirmam que nem mesmo as torres de transmissão podem causar mal algum.[3] Contudo, um estudo supervisionado pela OMS que deveria ser publicado no final de 2009 indicava segundo os resultados preliminares que o uso do telefone celular pode ter relação com vários tipos de câncer, em especial tumores cerebrais.[4] O estudo é um projeto cooperativo denominado Interphone [5] Segundo a engenheira e pesquisadora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Adilza Condessa Dode, mais de 80% dos óbitos de pacientes de Belo Horizonte que tinham casos de câncer relacionados à radiação eletromagnética tratava-se de casos de pessoas que moravam a cerca de 500 metros de distância das antenas de telefonia da cidade.[6]

Em 31 de maio de 2011, a Organização Mundial de Saúde publicou um relatório classificando a radiação emitida por telefones celulares portáteis como "possivelmente cancerígena para seres humanos".[7] Esta classificação foi feita após reexames dos estudos preliminares feitos por cientistas sobre a segurança de telefones celulares. Uma destas pesquisas mostrava um aumento de 40% de risco de aparecimento de gliomas na categoria de usuários de uso mais constante do aparelho. (30 minutos por dia durante um período constante de 10 anos).[8]

 

 

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Celular_e_c%C3%A2ncer

 

A radiação eletromagnética vinda de telefones celulares pode causar um tipo de câncer no cérebro, de acordo com anúncio feito nesta terça-feira (31), na França, pela Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (Iarc, na sigla em inglês), um braço da Organização Mundial de Saúde (OMS). A agência, no entanto, ressaltou que, até agora, não foram registrados casos de problemas de saúde ligados ao uso do aparelho.

 

Segundo estimativas da agência, há mais de 5 bilhões de aparelhos celulares em operação no mundo.

 

O anúncio foi feito a partir da revisão de estudos médicos sobre o tema, feita por um grupo de 31 cientistas de 14 países. Os pesquisadores colocaram a radiação dos telefones móveis no mesmo nível de perigo que a emissão de gases vinda de automóveis, o chumbo e o clorofórmio, o "grupo 2-B", "possivelmente carcinogênico para humanos".

 

 

Segundo a agência (OMS), não há estudos suficientes para garantir que a radiação de celulares é segura e há dados o bastante sobre os riscos para que os consumidores sejam alertados.

 

 

Samet informou que um dos estudos analisados apresentou um risco aumentado de 40% para gliomas entre as pessoas que usavam celulares em média por 30 minutos por dia ao longo de 10 anos.

 

 

Outro lado


A GSMA, associação de operadoras de celular, comentou em nota o trabalho da Iarc. Segundo o texto, o relatório da Iarc diz que o perigo dos telefones celulares é "possível, mas não provável".

 

Fonte:

 

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/05/radiacao-de-telefones-celulares-pode-causar-cancer-diz-oms.html

Apoiamos: