Tomar paracetamol  mesmo em pequena quantidade (Um comprimido de 750mg)  por dia pode ser fatal.

 

 O medicamento produz uma overdose difícil de ser detectada a tempo de evitar a morte. Este alerta foi feito em pesquisa recente publicada no “British Journal of Clinical Pharmacology” pelo médico Kenneth Simpson.

 

 Professor da Universidade de Edimburgo e chefe da equipe de transplante de fígado do hospital universitário, Simpson alerta que as overdoses costumam ocorrer quando as pessoas sentem dor e tomam repetidas doses de paracetamol a fim de aliviar os sintomas.

 

- Os pacientes que apresentam overdose de paracetamol são aqueles que tomaram o medicamento repetidas vezes, pensando que uma dose maior poderia acabar com a dor. O resultado é o acúmulo da droga no sangue, levando à insuficiência hepática – avalia o médico.

 

O Dr. Simpson e sua equipe analisaram dados de 663 pacientes que tinham sido admitidos na Enfermaria Real de Edimburgo, entre 1992 e 2008, com lesão hepática.

 

Eles descobriram que 161 pacientes tinham tomado overdose de paracetamol, sendo os comprimidos escalonados num período relativamente curto, geralmente para aliviar uma variedade de dores comuns, como dores abdominais ou musculares, cefaleia e dor de dente.

 

- Ao chegar ao hospital, esses pacientes apresentavam sintomas de overdose, estando propensos a ter problemas de fígado e no cérebro.

 

Eles requeriam diálise renal imediata ou precisavam de ajuda para respirar. Ou seja, tinham mais risco de morrer do que as pessoas que tomaram uma grande dose única – diz Simpson.

 

Ele diz que as doses repetidas vão se acumulando no organismo e que estes pacientes precisam ser monitorados de perto. O exame para medir o nível de paracetamol no sangue é essencial para que haja uma avaliação médica capaz de estancar a reação em cadeia que leva à insuficiência hepática.

 

E alerta que muitos morrem por falta de um diagnóstico certo ou de atendimento médico adequado, já que a overdose do medicamento é de difícil diagnóstico. Em alguns casos os danos são tão graves que o paciente entra na fila para transplante de fígado.

A Droga Chamada PARACETAMOL:

O acetaminofeno (N-acetil-p-aminofenol), mais conhecido como paracetamol, é um analgésico e anti pirético popular e largamente utilizado no Brasil, porém,  já foi proíbido em vários países no Mundo

 

O Que é Insuficiência hepática:

 

Insuficiência hepática refere-se a quando todas as funções do fígado se encontram alteradas em maior ou menor grau, quando há dificuldade em desempenhar as funções normais de metabolizar e sintetizar proteínas.

 

Divide-se em aguda ou crónica e cada um em benigna ou maligna.

A insuficiência hepática aguda é a alteração aguda e grave da função hepatocelular secundária à citotoxicidade ou colestase.

A insuficiência hepática fulminante refere-se à insuficiência hepática aguda complicada por encefalopatia.

 

Fonte: Wikipédia



Mesmo quando tomado dentro das doses recomendadas, o paracetamol pode causar lesões no fígado e, em casos mais graves, episódios hepáticos fulminantes que podem levar à morte.

 

A intoxicação por paracetamol raramente é mortal nas crianças que não atingiram a puberdade, por razões que não se compreendem bem.

Em Inglaterra, por exemplo, morrem anualmente mais de 200 pessoas de overdose de paracetamol e no ano passado 20 foram sujeitas a transplante hepático pelos mesmos motivos. O problema é que os sintomas aparecem ao fim de alguns dias e muitos pacientes chegam aos hospitais quando é demasiado tarde para um transplante lhes salvar a vida.

É completamente contra-indicado ingerir paracetamol para combater as consequências do excesso de álcool - o álcool, jejum prolongado e vómitos excessivos podem inibir a produção das enzimas envolvidas na sua metabolização, como sejam as peroxidases -, aumentando assim a toxicidade do paracetamol.

Veja Mais:

Riscos do paracetamol

 

Pesquisa divulgada pela revista científica New Scientist alerta sobre os riscos que o paracetamol traz para a saúde depois que foi divulgado que o analgésico se tornou a principal causa de insuficiência hepática nos Estados Unidos.

 

O estudo mostra que a proporção de problemas no fígado causados pelo medicamento chegou a 51% do total em 2003. Em 1998, esta proporção era de 28%.

 

Os cientistas americanos responsáveis pelo estudo chegaram à conclusão de que 20 comprimidos de paracetamol por dia são suficientes para causar insuficiência hepática e levar à morte - a dose máxima recomendada é de oito.

 

Em entrevista ao UOL News, o toxicologista Anthony Wong, do Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas, deu uma aula sobre o que se deve e o que não se deve fazer no uso do paracetamol, admitiu não saber por que o remédio ainda continua no mercado e explicou que a dosagem perigosa varia de pessoa para pessoa.

 

"A quantidade de comprimidos é altamente variável. Só aqui no Brasil tem comprimido de 750mg. Na Inglaterra só tem de 500mg e de 360mg. Nos Estados Unidos existem comprimidos de até 1g, mas isso ainda é muito restrito. Nos Estados Unidos, inclusive, já há restrições, com advertência de caixa preta, para que as pessoas não tomem paracetamol com bebida alcoólica. Se tomar mais de 3 doses de bebida alcoólica não pode tomar paracetamol."

 

Ainda sobre a dosagem, lembrou: "20 comprimidos é uma dose média, mas há pessoas que já tiveram falência hepática tomando 8 comprimidos de 500mg, que dá 4g. É importante salientar que a máxima diária são 4g de paracetamol, desde que não tenha álcool, problema hepático ou o paciente não esteja tomando um outro remédio."

 

Nada de paracetamol na ressaca

 

Ele contou que a velha prática de tomar um comprimido com paracetamol em dias de ressaca para combater a dor de cabeça deve ser completamente abolida da vida das pessoas. "É uma boa advertência para essa época de natal e ano novo. Não se pode tomar um porre e depois tomar paracetamol, pois pode causar lesão hepática fulminante mesmo em doses menores do que 20 comprimidos. Também não pode tomar aspirina, porque ela aumenta o sangramento gástrico."

Para Anthony Wong, a pesquisa vem numa boa hora. "É importante e muito bem-vindo o alerta, porque os americanos e principalmente os brasileiros tomam remédios como se fossem 'M&Ms'. Não pode." Ele contou que nos Estados Unidos, além da morte causada por falência hepática, o paracetamol é a principal causa de morte por intoxicação de todos os remédios que existem no país."

"Então por quer ainda está no mercado?", perguntou a jornalista. "Nos Estados Unidos tem um forte trabalho de marketing em cima do FDA. Já na Europa há muitas restrições. Na Inglaterra, por exemplo, só se pode comprar uma caixa por mês."

 

Segundo o médico, febre muito alta, jejum prolongado ou vômito prolongado em crianças ou adultos são muito perigosos. "Isso esfolia a pessoa de radicais que são necessários para neutralizar o paracetamol."

O efeito no fígado

 

Segundo o médico, o efeito do paracetamol no fígado é tardio. "Depois de 12 horas a pessoa começa a sentir náuseas. Depois de 24 horas começa a ter dor de cabeça muito forte por causa da lesão do fígado. E aí não adianta dar nada, porque o antídoto só funciona, na melhor das hipóteses, antes de 24 horas. Depois disso é muito tarde."

 

Ele contou que há 3 anos saiu na Pediatrics um estudo alertando para esse efeito, dizendo que uma criança que tomou paracetamol e está vomitando poderia estar com overdose de paracetamol. "E tanto é verdade que muitos centros já aplicam um antídoto quando uma criança que tomou paracetamol é atendida e a mãe não sabe dizer qual foi a dose. Depois fazem a dosagem. Se for baixa, suspendem o antídoto."

 

O paracetamol e a febre

 

Anthony Wong lembrou que vários antigripais contêm paracetamol. Lillian pediu para o médico citar alguns nomes-fantasia para que as pessoas pudessem saber de que remédio estão falando. Citou como alguns exemplos Tylenol, Naldecon, Cheracap, Cedrin e Dimetap. "Quase todos os antigripais têm paracetamol e muito facilmente causam overdose."

 

O especialista explicou que não se deve nunca começar um tratamento de gripe com aspirina. "Motivo: existe uma doença chamada Síndrome de Reye, que causa a destruição fulminante do fígado se a pessoa tomar aspirina e tiver propensão genética de destruição maciça no fígado." Ele contou que essa advertência sobre o uso da aspirina foi feita no fim da década de 70, começo da década de 80.

"Quando saiu essa advertência, a incidência de Reye nos Estados Unidos era mais ou menos de mil casos por ano. Praticamente 95% das pessoas morriam. No Brasil não era muito menor. Depois da advertência, o número de casos caiu para 25 ao ano. Isso demonstra que existe uma associação causal com uso da aspirina."

 

Alternativas

 

O médico deu algumas alternativas ao paracetamol. "Tenho uma certa preferência pela dipirona (novalgina), mas o ibuprofeno (advil para adulto e alivium para criança), que está entrando agora no mercado, é bastante seguro." Wong lembrou que nem a aspirina nem o paracetamol podem ser ingeridos em casos de dengue. O primeiro porque causa sangramento e o segundo porque ataca o fígado.

Sobre reação anafilática, Wong explicou que independe do medicamento. "Pode acontecer com qualquer remédio, desde dipirona, pinicilina (o mais comum de causar alergia), ácido acetilsalicílico, até picada de abelha. A dica é: evite ao máximo tomar remédio. Se precisar, tome com cautela, com cuidado, mesmo que seja a 1/10 de vez que estiver tomando aquele remédio."

 

O paracetamol e a estatina

 

A jornalista Lillian Witte Fibe perguntou a ele se é perigoso misturar o paracetamol com a estatina, que é usada para o controle do colesterol. "Ainda não foi demonstrada uma associação entre os dois. Parece que atuam em lugares diferentes dentro da célula hepática. Sabemos que alguns antibióticos, como a rifampicina, usada para tuberculose, e também alguns antibióticos da linha do cipro podem se associar ao paracetamol e provocar uma lesão de fígado."

 

Fonte: UOL

Fale:

Write a comment

Comments: 10
  • #1

    walter (Friday, 20 January 2012 18:35)

    Gostaria de ter mais informações
    e parabens pelos artigos

  • #2

    fer (Sunday, 15 April 2012 11:40)

    d d d d

  • #3

    preto r (Monday, 16 April 2012 21:35)

    e meus amados nem todos querem sair da matrix infeslimente deixe estar as profecias estao se cumprindo

  • #4

    Andreza (Monday, 01 October 2012 17:32)

    Gostaria de imagens como o fígado fica quando está com Insuficiência hepática para um trabalho de seminario integrado da minha escola se puderem me mandar por email o quanto antes eu agradeço
    Obrigada Espero!

    I would picture as the liver gets when he is Hepatic to an integrated job seminar at my school if they can send me email as soon as I appreciate
    Thank you I hope!

  • #5

    Best Juicer (Wednesday, 17 April 2013 23:42)

    This informative article was precisely what I had been searching for!

  • #6

    MARCOS (Wednesday, 12 February 2014 21:22)

    acho engraçado que esse cara conhece de tudo né desde religião até remédios...VC É MESMO UM CRANIO KARA..

  • #7

    julio (Friday, 14 February 2014 20:52)

    coitado!.. esse só pegou a bula de paracetamol na vida, pois tem inumeros medicamentos com efeitos colaterais muito pior que esse...falou que é farmaco meu amigo! não tem jeito... é um mal necessário

  • #8

    ERIKA (Saturday, 12 July 2014 12:33)

    É POR ISSO QUE EU GOSTO DE SÓ TOMAR NAVAGINA

  • #9

    jão (Saturday, 25 October 2014 12:40)

    ISSO DEPENDE DO ORGANISMO, SEUS POBRES, BURROS E SEM ESTUDOS!!!!

  • #10

    CRENTÃO (Saturday, 15 November 2014 23:06)

    É MIL VEZES MELHOR ORAR A DEUS COM FÉ, QUE A DOR PASSA QUE FICAR ENTUPINDO COM ESSES VENENOS DE LABORATÓRIOS...

Apoiamos: